quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Meus

(Ivana Almeida)

Minha arte está sempre no limite do mínimo ou do máximo: eu nunca me encontrei no meio termo. Se sinto, sou completamente desse sentimento; se escrevo, sou do texto, das mínimas linhas e entrelinhas, dos detalhes das palavras, das rimas e das interpretações. Há algo belo e romântico nesse modo de levar a vida.

3 comentários:

  1. e ainda bem q vc escolheu nos mostrar esse algo belo e romântico do modo de vida o/

    ResponderExcluir
  2. Interessante, esta definiçao da falta de moderaçao que permeia a sociedade atual...

    ResponderExcluir